quarta-feira, 21 de julho de 2010

A Nanotecnologia e o Design de Interiores

Todos os elementos encontrados na natureza são compostos por átomos. A nanotecnologia é um processo que consiste em manipular estes átomos para transformá-los em materiais novos. Para se ter noção da dimensão, um “nano”, equivale a um milímetro dividido um milhão de vezes. A idéia do que é nanotecnologia foi descrita por Feyman em sua palestra em 1959 “There’s Plenty of Room at the Bottom” ( “Há Bastante Espaço Lá Embaixo”).


Com esta nova possibilidade, estão surgindo novos materiais, mais fortes, mais leves, mais flexíveis e mais eficientes, com inúmeras aplicações em vários campos. Como vantagem pode-se citar a economia de energia, proteção do meio ambiente e o menor uso de matérias primas. Temos como exemplo, o aerogel, o sólido mais leve do mundo, um nanoisolante, composto de 99,95% de ar. Os nanotubos de carbono, já são mais duros que o diamante e são usados em equipamentos de esportes, barcos e carros. Também fazem parte da composição da cadeira Myto, da Plank, cuja viabilidade de seu desenho com duas pernas são graças ao material utilizado.


Como exemplo dentro da área de Design de Interiores, temos o Biophor. Que foi desenvolvido por meio de parceria do Instituto de Química (IQ), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a empresa multinacional Bunge. Consiste em um pigmento branco para tintas, fabricado a partir de nanopartículas de fosfato de alumínio. O produto vai substituir o dióxido de titânio que é altamente toxico e atualmente é usada como matéria prima de tintas à base de água.


Pode-se utilizar a nanotecnologia também, para manter pisos e paredes de banheiros e cozinhas livres de bactérias sem utilizar materiais de limpeza que normalmente contém produtos tóxicos. O químico Thiago Sequinel, da Universidade Estadual Paulista (Unesp, campus de Araraquara), desenvolveu um novo método para fixar nanopartículas de óxido de titânio e de prata (que têm propriedade bactericida) em azulejos de cerâmica. As peças são submetidas à pressão elevada e temperatura em torno de 450ºC. “Desse modo o filme não se desprende do azulejo ou de qualquer outro substrato no qual esteja aplicado”, explica Sequinel. O caráter bactericida persiste enquanto durar a cerâmica.


A nanotecnologia pode ser um caminho para a casa ecologicamente correta, porém ainda não se sabe ao certo o seu impacto sobre os seres humanos e sobre a natureza. O mérito desta nova tecnologia está em estudar uma saída para se chegar ao paradigma de uma convivência sustentável com a natureza.


Claudia Amaral


Bibliografia:

• Como medir o risco dos nanomateriais? Por: Carlos Alberto dos Santos
Publicado em 24/07/2009
Atualizado em 15/12/2009 http://cienciahoje.uol.com.br/colunas/do-laboratorio-para-a-fabrica/como-medir-o-risco-dos-nanomateriais/?searchterm=Como%20medir%20o%20risco%20dos%20nanomateriais? Acesso: 11 de julho de 2010.
• Tecnologia invisível Por: Silvia Gomez
Revista Casa Claudia – 06/2010
http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2010/02/revestimento-a-toda-prova/?searchterm=Revestimentoa  toda prova, acesso 11 de julho de2010